Clipping: FCLL na mídia

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar
Nesta seção você confere reportagens publicadas na mídia impressa e digital sobre o FCLL. Clique no título do documento ou na foto do site para acessar seu conteúdo.

Programa de TV Conversas Cruzadas, no canal TVCOM, em 5 de junho de 2015. Entrevista com Salomão Ribas Júnior (presidente da Associação Catarinense de Letras), Carlos Stegemann (jornalista e diretor da empresa PalavraCom), José Paulo Speck Pereira (bibliotecário da UFSC) e Tatjane Garcia (coordenadora de projetos culturais da Biblioteca Pública do Paraná).

Bloco 1.

Bloco 2.

Bloco 3.

Bloco 4.

_____________________________________

Notícias do Dia. 25 de maio de 2015.

Noticias do Dia 25 maio 2015 1

Noticias do Dia 25 maio 2015

Noticias do Dia 25 maio 2015 3

_________________________________

A Notícia. 25 de maio de 2015.

A Noticia 25 maio 2015

__________________________________

Jornal de Santa Catarina. 25 de maio de 2015.

Jornal de Santa Catarina 25 maio 2015

_______________________________

Diário Catarinense. 25 de maio de 2015.

Diario Catarinense 25 maio 2015

__________________________________

Diário Catarinense. 25 de maio de 2015.

Diario Catarinense 25 maio 2015 2

______________________________________

Diário Catarinense. 25 de maio de 2015.

Diário Catarinense 25 maio 2015 3

________________________

Jornal de Santa Catarina. 25 de maio de 2015.

Jornal de Santa Catarina 25 maio 2015 2

__________________________

A Notícia. 25 de maio de 2015.

A Noticia 25 maio 2015 2

____________________________

Diário Catarinense. 25 de maio de 2015.

Diario Catarinense 25 maio 2015 3

____________________________________

Adjori SC. 22 maio 2015.

Adjori SC 22 maio 2015

Adjori SC 22 maio 2015 2

Adjori SC 22 maio 2015 3

_________________________________

Engeplus Telecom. 17 de setembro de 2014.

Engeplus 17 set 2014

_________________________________________

Fundação Cultural de Criciúma. 17 de setembro de 2014.

Fundação Cultural Criciuma 17 set 2014

Fundação Cultural Criciuma 17 set 2014 continuação

_________________________________

Diário Catarinense. 16 de setembro de 2014.

Diario Catarinense 16 set 2014

________________________________

Diário Catarinense. 16 de setembro de 2014.

16 set 2014
_________________________________
Notícias do Dia. 16 de agosto de 2015.

16 ago 2014 Noticias do Dia
__________________________________

 

Portal Clicatribuna. 15 de setembro de 2014.

Folchini 15 set 2014
__________________________________

ESP Brasil. 15 de setembro de 2014.

ESP Brasil 15 set 2014

______________________________________

 

JI News. 15 de setembro de 2014.

JI news 15 set 2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_____________________________________________

Programa de TV Conversas Cruzadas, no canal TVCOM, em 18 de setembro de 2014. Entrevista com Maria Terezinha Debatin (presidente da Fundação Catarinense de Cultura), Carlos Stegemann (jornalista e diretor da empresa PalavraCom), José Paulo Speck Pereira (bibliotecário da UFSC) e Irene Rios (presidente da Câmara Catarinense do Livro).

Bloco1

Bloco 2

Bloco 3

Bloco 4

__________________________________________________

Programa de TV Educação e Cidadania News, no canal Record News, em 4 de julho de 2014. Entrevista com José Paulo Teixeira.

__________________________________________________

PressFloripa 27 maio 2014

FÓRUM propõe debate sobre as índices de leitura. PressFloripa, Florianópolis, 27 maio 2014. Disponível em: <http://www.pressfloripa.com.br/noticias_leitor.php?not_id=15995>. Acesso em: 11 jun. 2014.

__________________________________________________

adjori 27 maio 2014

2º FÓRUM do Livro e da Leitura propõe debate sobre os índices de leitura em Santa Catarina. Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina, Florianópolis, 27 maio 2014. Disponível em: <http://www.adjorisc.com.br/educac-o/2-forum-do-livro-e-da-leitura-prop-e-debate-sobre-os-indices-de-leitura-em-santa-catarina-1.1461536#.U5hkIijwua->. Acesso em: 11 jun. 2014.

O 2º Fórum do Livro e da Leitura reuniu pessoas que se interessam por livros, pela literatura e por bibliotecas, mas, principalmente, proporcionou o encontro apaixonados pela leitura. ONGs, bibliotecários, empresas privadas e entidades do governo debateram meios de criar o Plano do Livro e da Leitura para Santa Catarina. O encontro ocorreu no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, durante todo o dia.

Os participantes, que vieram de todas as regiões do Estado, mostraram exemplos do que estão fazendo em suas cidades para estimular a leitura: contação de história, barca da leitura, concurso de poesias e de contos, entre outras tantas iniciativas. E esse tipo de ação realmente é necessária.

Segundo dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró-Livro e divulgada em 2012, o sul do país está lendo menos. Em 2007, eram lidos, em média, 5,5 livros por pessoa por ano. Em 2011, este número reduziu para 4,1 livros ao ano, em média. Ainda de acordo com o estudo, quanto mais escolarizado é o cidadão brasileiro, mais ele lê. Aqueles que têm nível superior, por exemplo, em 2011 liam em média 7,7 livros por ano, enquanto o cidadão com apenas o quarto ano de escolaridade lia 2,5 livros por ano.

“Cada uma destas entidades, cada uma dessas pessoas que está aqui conosco hoje, da sua maneira, contribui de algum jeito para melhorar estes índices. Este fórum foi mais um passo dado. O evento agora é permanente, representativo, e vai mobilizar mais pessoas nos fóruns regionais e municipais, mas sabemos que ainda há muitos desafios pela frente”, explica o coordenador do encontro, o professor e sociólogo José Paulo Teixeira.

Bibliotecas
Apenas 24% dos moradores de Santa Catarina frequentam as bibliotecas públicas, que estão disponíveis em 289 dos 295 municípios. Deste número, 70% são estudantes. Pesquisa feita com não frequentadores perguntou o que os faria começar a ir até estes espaços. Para 20% dos entrevistados, o local teria de dispor de mais livros novos; 17% gostariam que a biblioteca ficasse mais perto de casa; 13% disseram que iriam mais se o local oferecesse mais títulos interessantes.

Atividades culturais e eventos foram as respostas de 11% dos pesquisados e acesso à internet as de outros 10%. Oito por cento das pessoas disseram que os horários de funcionamento dos espaços precisariam ser ampliados, enquanto 5% gostariam que os espaços de leitura fossem mais parecidos com livrarias.

“O incrível é ter de conviver com números como estes: no sul do país, o número de empréstimos de livros é em média, de 351 por mês nas bibliotecas públicas. Só perdemos para o sudeste, que empresta 421 obras, em média. Mas é um número baixo”, constata José Paulo Speck Teixeira, bibliotecário da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e secretário-executivo do fórum.

Inclusão
Em palestra durante a tarde, a psicóloga Ana Paula Silva, da Fundação Dorina Nowill para Cegos falou sobre as práticas de leitura inclusiva para as pessoas com deficiência visual e apresentou o cenário, os avanços e os desafios no Brasil.

Segundo ela, no país são 500 mil pessoas com cegueira e outras 6 milhões com baixa visão. “Importante destacar que estas pessoas que têm muito mais dificuldade de acesso aos livros leem uma média de nove livros ao ano. E tenho certeza de que estes índices ainda vão melhorar, porque nunca deixamos de lutar por isso e de incentivar”, explica a psicóloga.

Literatura
Jornalista e amante da literatura, o paulista Manuel da Costa Pinto participou de um bate-papo para falar sobre a paixão e o trabalho com literatura, que o levaram a ser o curador da participação brasileira na Feira de Frankfurt, na Alemanha, em 2013.

Ele estudou jornalismo porque queria trabalhar com literatura. E conseguiu. Seu trabalho o levou a ser curador do Salão de Ideias da Bienal do Livro, da Feira Literária Internacional de Paraty (Flip), e, por último, do evento na Europa, considerado o maior do mercado editorial do mundo. Tudo isso sem deixar o trabalho como colunista da Folha de S. Paulo e na TV Cultura.

Para o escritor, que concluiu mestrado em teoria literária, não há uma fórmula de como fazer as pessoas passarem a se interessar pela literatura, mas ele acredita que um primeiro passo possa ser a mudança no currículo escolar. “Precisamos pensar em autores mais acessíveis como um primeiro acesso à leitura. Devíamos aproveitar o talento do gênio Luiz Fernando Veríssimo e leva-lo à escola. O currículo no Brasil é mal pensado”, considera.
__________________________________________________

Vivi Bevilacqua 26 maio 2014

BEVILACQUA, Vivi. Índice de leitura no Brasil precisa melhorar. Blog Vivi Bevilacqua, Florianópolis, 26 maio 2014. Disponível em: <http://revistadonna.clicrbs.com.br/vivi/2014/05/26/indice-de-leitura-no-brasil-precisa-melhorar/>. Acesso em: 11 jun. 2014.

Já passamos da primeira década do século 21, mas em algumas coisas parece que o Brasil demora muito para evoluir, como é no caso da leitura. Vivemos em um ambiente altamente tecnológico, no qual até as crianças bem pequenas já estão inseridas. Todos falam em produção audiovisual, banda larga, 3G, 4G, digitalização, convergência de mídias, acesso universal às informações.

Tudo isso é importante, e, mais do que isso, faz parte da vida de todos nós hoje em dia. Não dá pra fugir desta realidade. Mas eu me pergunto: Por que, apesar de tantos avanços, ainda estamos patinando no que existe de mais básico, que é a leitura?

Adianta tanta tecnologia se nossos jovens mal conseguem ler _ e interpretar _ o que o autor está querendo dizer em determinado trecho de sua obra? Os índices de leitura são baixíssimos no Brasil, e continuam caindo, inclusive aqui na Região Sul. A média de leitura era de 4,2 exemplares anualmente por leitor em 2011, e de 5,5 livros em 2007. Os dados são da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, elaborada pelo Instituto Pró-Livro.

Estes números, suas consequências e como reverter esta situação serão assuntos em discussão, durante todo o dia de hoje no 2º Fórum Catarinense do Livro e da Leitura. O encontro é promovido pelo Fórum Catarinense do Livro e da Leitura (FCLL) e será realizado no Centro Integrado de Cultura (CIC), espaço Cinema. A ideia é discutir e viabilizar políticas públicas para o livro, a literatura, as bibliotecas e a economia da produção editorial catarinenses. Parabéns pela iniciativa. Estamos precisando de eventos assim.

__________________________________________________

Moacir Pereira 26 maio 2014 DCPEREIRA, Moacir. [Nota sobre o II Fórum Leitura SC]. Diário Catarinense, Florianópolis, 26 maio 2014.

__________________________________________________

Pra pensar paulo alceu 24 maio 2014ALCEU, Paulo. Pra pensar. Notícias do Dia, Florianópolis, 24 maio 2014.

__________________________________________________

Noticias do dia 23 maio 2014 servicoLIVRO e leitura. Notícias do dia, Florianópolis, 23 maio 2014. Serviço.

__________________________________________________

Hora SC 22 maio

MOTTA, Mário. CIC será palco do II Fórum de Leitura SC em Florianópolis. Hora de Santa Catarina, Florianópolis, 22 maio 2014. Disponível em: <http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/05/cic-sera-palco-do-ii-forum-de-leitura-sc-em-florianopolis-4506452.html>. Acesso em: 11 jun. 2014.

Na próxima segunda-feira, o Auditório do Cinema do CIC (Centro Integrado de Cultura) será palco do II Fórum Leitura SC. Um espaço democrático e aberto a todos os interessados em debater e viabilizar políticas públicas para a leitura, o livro, a literatura, as bibliotecas, os projetos e toda economia da produção e criação editorial catarinenses.

Várias instituições — civis, governamentais e particulares — já integram, de maneira voluntária e construtiva, esse movimento de leitores, escritores, editores, bibliotecários, gestores, agentes e projetos comprometidos com os propósitos que motivaram a sua criação.

Nesta edição estadual já estão confirmadas as presenças de Manuel da Costa Pinto, crítico literário, curador dos escritores brasileiros na Feira de Frankfurt, Alemanha, e de Ana Paula Silva, da Fundação Dorina Nowill.

Se sua instituição quiser aderir ao Fórum — com a indicação de dois representantes para o Conselho Permanente — basta visitar o site Fórum Leitura.

__________________________________________________

Servico DC

LIVRO. Diário Catarinense, 22 maio 2014. Serviço.

__________________________________________________

E mais DCWOSGRAUS, Juliana. E mais. Diário Catarinense, Florianópolis, 22 maio 2014.

__________________________________________________

Menos leitura DCMENOS leitura. Diário Catarinense, Florianópolis, 22 maio 2014. Visor.

__________________________________________________

Mario Motta Hora SCMOTTA, Mário. Fórum de leitura SC. Hora de Santa Catarina, Florianópolis, 22 maio 2014.

__________________________________________________

Raul Sartori

SARTORI, Raul. Fórum do livro. Blog do Raul Sartori: notícias de Santa Catarina. [S.l.], 21 maio 2014. Disponível em: <http://www.raulsartori.com.br/?p=24639>. Acesso em: 11 jun. 2014.

__________________________________________________

TimbonetFÓRUM terá desafio de elaborar minuta do Plano Estadual do Livro e da Leitura em 2014. Timbonet, Timbó, 6 jan. 2014. Disponível em: <http://www.timbonet.com.br/forum-tera-desafio-de-elaborar-minuta-do-plano-estadual-do-livro-e-da-leitura-em-2014/>. Acesso em: 23 jan. 2014.

A partir de 2014 Santa Catarina poderá contar com o Plano Estadual do Livro e da Leitura (PELL) – uma iniciativa destinada a democratizar o acesso ao livro, fomentar e valorizar a leitura e fortalecer as cadeias criativas e produtivas do livro. A minuta do Plano está em concepção no Fórum Catarinense do Livro e da Leitura, instalado em maio deste ano e integrado por pessoas físicas e representantes de instituições públicas e organizações setoriais.

“É a contribuição da sociedade civil para promover o desenvolvimento dos indicadores de leitura e, por consequência, da cidadania no estado”, explicou José Paulo Teixeira, professor e escritor que representa o Instituto Bom de Ler e coordena o Fórum. Para se transformar em lei, o PELL será encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Executivo estadual, após apreciação dos conselhos e órgãos estaduais gestores da educação e cultura catarinenses.

A elaboração da minuta que concorrerá para o PELL será elaborada a partir de um amplo diagnóstico executado pelos seguintes grupos de trabalho: GT 1 – Gestão, Bibliotecas Públicas e Sistemas de Bibliotecas e Profissionais; GT 2 – Leitura, Educação e Bibliotecas Escolares; GT 3 – Mercado Editorial; GT 4 – Retratos da Leitura em Santa Catarina; GT 5 – Leitura, Projetos e Comunidade; GT 6 – Letras, Academia e Literatura.

A expectativa é tê-la concluída até abril, quando iniciarão os fóruns setoriais em todas as regiões do estado e, finalmente, uma plenária assembleia geral em maio, que aprovará a minuta. “Com o PELL, Santa Catarina disporá de uma política permanente de fomento à leitura, algo essencial para aprimorar a qualidade social da população e a competitividade da economia”, acrescenta. “Também estão previstas as fontes de recursos para executar esta política”, destaca Teixeira.

Além da elaboração do Plano Estadual do Livro e da Leitura, o Fórum espera ser o ponto de convergência entre as centenas de iniciativas para estimular ou qualificar o hábito da leitura em Santa Catarina, como também realizar um censo dos autores catarinenses ou radicados. O Fórum é aberto às adesões de pessoas físicas e entidades públicas ou não governamentais envolvidas com o tema. Respondem pela secretaria geral e pela comunicação, respectivamente, José Paulo Speck (Associação Catarinense de Bibliotecários) e Carlos Stegemann (jornalista e escritor – Associação Catarinense de Imprensa).

__________________________________________________

PasseiAKIFÓRUM terá desafio de elaborar plano estadual. PasseiAki, 6 jan. 2014. Disponível em: <http://www.passeiaki.com/noticias/forum-tera-desafio-elaborar-plano-estadual>. Acesso em: 23 jan. 2014.

A partir de 2014 Santa Catarina poderá contar com o Plano Estadual do Livro e da Leitura (PELL) – uma iniciativa destinada a democratizar o acesso ao livro, fomentar e valorizar a leitura e fortalecer as cadeias criativas e produtivas do livro. A minuta do Plano está em concepção no Fórum Catarinense do Livro e da Leitura, instalado em maio deste ano e integrado por pessoas físicas e representantes de instituições públicas e organizações setoriais.

“É a contribuição da sociedade civil para promover o desenvolvimento dos indicadores de leitura e, por consequência, da cidadania no estado”, explicou José Paulo Teixeira, professor e escritor que representa o Instituto Bom de Ler e coordena o Fórum. Para se transformar em lei, o PELL será encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Executivo estadual, após apreciação dos conselhos e órgãos estaduais gestores da educação e cultura catarinenses.

A elaboração da minuta que concorrerá para o PELL será elaborada a partir de um amplo diagnóstico executado pelos seguintes grupos de trabalho: GT 1 – Gestão, Bibliotecas Públicas e Sistemas de Bibliotecas e Profissionais; GT 2 – Leitura, Educação e Bibliotecas Escolares; GT 3 – Mercado Editorial; GT 4 – Retratos da Leitura em Santa Catarina ; GT 5 – Leitura, Projetos e Comunidade; GT 6 – Letras, Academia e Literatura.

A expectativa é tê-la concluída até abril, quando iniciarão os fóruns setoriais em todas as regiões do estado e, finalmente, uma plenária assembleia geral em maio, que aprovará a minuta. “Com o PELL, Santa Catarina disporá de uma política permanente de fomento à leitura, algo essencial para aprimorar a qualidade social da população e a competitividade da economia”, acrescenta. “Também estão previstas as fontes de recursos para executar esta política”, destaca Teixeira.

Além da elaboração do Plano Estadual do Livro e da Leitura, o Fórum espera ser o ponto de convergência entre as centenas de iniciativas para estimular ou qualificar o hábito da leitura em Santa Catarina , como também realizar um censo dos autores catarinenses ou radicados. O Fórum é aberto às adesões de pessoas físicas e entidades públicas ou não governamentais envolvidas com o tema. Respondem pela secretaria geral e pela comunicação, respectivamente, José Paulo Speck (Associação Catarinense de Bibliotecários) e Carlos Stegemann (jornalista e escritor – Associação Catarinense de Imprensa).

__________________________________________________

Diario CacadorenseFÓRUM terá desafio de elaborar Plano Estadual. Diário Caçadorense, Caçador, 6 jan. 2014. Disponível em: <http://www.diariocacadorense.com/noticias-detalhes.php?id=7216>. Acesso em: 23 jan. 2014.

A partir de 2014 Santa Catarina poderá contar com o Plano Estadual do Livro e da Leitura (PELL) – uma iniciativa destinada a democratizar o acesso ao livro, fomentar e valorizar a leitura e fortalecer as cadeias criativas e produtivas do livro. A minuta do Plano está em concepção no Fórum Catarinense do Livro e da Leitura, instalado em maio deste ano e integrado por pessoas físicas e representantes de instituições públicas e organizações setoriais.

“É a contribuição da sociedade civil para promover o desenvolvimento dos indicadores de leitura e, por consequência, da cidadania no estado”, explicou José Paulo Teixeira, professor e escritor que representa o Instituto Bom de Ler e coordena o Fórum. Para se transformar em lei, o PELL será encaminhado à Assembleia Legislativa pelo Executivo estadual, após apreciação dos conselhos e órgãos estaduais gestores da educação e cultura catarinenses.

A elaboração da minuta que concorrerá para o PELL será elaborada a partir de um amplo diagnóstico executado pelos seguintes grupos de trabalho: GT 1 – Gestão, Bibliotecas Públicas e Sistemas de Bibliotecas e Profissionais; GT 2 – Leitura, Educação e Bibliotecas Escolares; GT 3 – Mercado Editorial; GT 4 – Retratos da Leitura em Santa Catarina; GT 5 – Leitura, Projetos e Comunidade; GT 6 – Letras, Academia e Literatura.

A expectativa é tê-la concluída até abril, quando iniciarão os fóruns setoriais em todas as regiões do estado e, finalmente, uma plenária assembleia geral em maio, que aprovará a minuta. “Com o PELL, Santa Catarina disporá de uma política permanente de fomento à leitura, algo essencial para aprimorar a qualidade social da população e a competitividade da economia”, acrescenta. “Também estão previstas as fontes de recursos para executar esta política”, destaca Teixeira.

Além da elaboração do Plano Estadual do Livro e da Leitura, o Fórum espera ser o ponto de convergência entre as centenas de iniciativas para estimular ou qualificar o hábito da leitura em Santa Catarina, como também realizar um censo dos autores catarinenses ou radicados. O Fórum é aberto às adesões de pessoas físicas e entidades públicas ou não governamentais envolvidas com o tema. Respondem pela secretaria geral e pela comunicação, respectivamente, José Paulo Speck (Associação Catarinense de Bibliotecários) e Carlos Stegemann (jornalista e escritor – Associação Catarinense de Imprensa).

__________________________________________________

Noticia Moacir PereiraPEREIRA, Moacir. Fórum Catarinense do Livro e da Leitura hoje na ACI. Diário Catarinense, Florianópolis, 10 dez. 2013. Disponível em: <http://wp.clicrbs.com.br/moacirpereira/2013/12/10/forum-catarinense-do-livro-e-da-leitura-hoje-na-aci/?topo=67,2,18,,,67>. Acesso em: 11 dez. 2013.

A Associação Catarinense de Imprensa sedia no início da noite de hoje (terça-10) a reunião do grupo gestor do Fórum Catarinense do Livro e da Leitura, iniciativa focada em democratizar o acesso ao livro, fomentar e valorizar a leitura e fortalecer as cadeias criativas e produtivas do livro. O desafio de 2014 será contribuir com a construção do Plano Estadual do Livro e da Leitura, uma política setorial que será transformada em lei pela Assembleia Legislativa no próximo ano – além de um amplo diagnóstico sobre o setor, envolvendo autores, editoras, bibliotecas e organizações correlatas.  O coordenador do grupo gestor é o sociólogo José Paulo Teixeira, do Instituto Bom de Ler.